Apareceu um novo jeito de emagrecer e acabar com a celulite: Bactérias!

A verdade é que elas estão aí quase que literalmente “desde que o mundo é mundo”. Elas estão ao nosso redor e dentro da gente. Pior, você É mais bactéria do que imagina.
Pode parecer estranho, pode ser que nunca te disseram isso, mas você tem mais bactérias dentro do seu corpo do que células!
Sim, querido leitor, desculpe destruir tuas esperanças de limpeza total e profunda como só a propaganda cheia de 3d do listerine pode te convencer que é possível! Não é!
No adianta fazer cara de nojo. Se você desmontar um corpo humano inteiro, célula por célula, e separar o que é bactéria de um lado e parte de gente do outro, os micróbios ganharão de lavada.

A maior parte dos micróbios vive no sistema digestivo. O intestino grosso uma verdadeira salsicha de bactérias – a chamada flora intestinal. E isso ótimo, pois elas são essenciais para a nossa capacidade de digerir certos carboidratos complexos e para outros serviços metabólicos em geral, como a reabsorção da água e nutrientes pelo intestino.

Trata-se de uma relação benfica para ambos os lados. As bactérias prestam seus vários serviços digestivos (sem elas não conseguiríamos digerir o amido, por exemplo, um importante carboidrato de batatas e cereais) e, em troca, elas recebem carta branca para viver dentro de nós sem serem importunadas. De alguma forma, o nosso sistema imunológico, que normalmente ataca qualquer coisa estranha que aparece pela frente, reconhece que essas bactérias são benéficas. É como se essas fossem VIPS. Assim eles permitem que elas fiquem por lá. Mas os cientistas não sabem exatamente como isso funciona, ainda.

Segundo algumas estimativas, o organismo humano é formado por aproximadamente 10 trilhões de células (isso é o número 1 seguido de 13 zeros).
Mas o número de bactérias vivendo no nosso intestino pode ser até 10 vezes maior: 100 trilhões! Isso só é possível, claro, porque cada bactéria é muito (muito mesmo) menor do que uma célula humana.

Ainda assim, você tem tanta bactéria ai dentro que, juntas, elas podem pesar até 4 quilos!

Nojento? Talvez. Mas e se eu te dissesse que o tão sonhado graal do emagrecimento rápido e sem exercícios pode estar justamente nessas amiguinhas que vivem dentro de você – e que te mantém vivo?

EMAGRECIMENTO RÁPIDO – um problema eterno

weight-loss

De acordo com um artigo da Forbes, mais de um terço de todos os adultos os EUA estão oficialmente qualificados como obesos.

Ser gordo não é fácil e quem tem problemas para emagrecer já fez e tentou de tudo para conseguir baixar o peso. Além do preconceito social, vem os problemas de saúde, o desgaste das articulações. Muita gente olha para pessoas que tem problemas para emagrecer e pensam logo que são pessoas preguiçosas, que não estão nem aí para com a própria saúde. Mas a verdade é que dentro da população de pessoas obesas, há muitas que por mais que se esforcem e mudem seus hábitos alimentares, ainda tem muita dificuldade em reduzir o peso.

Emagrecer e perder as celulites é praticamente um mantra repetido em revistas, programas de Tv e bilhões de sites na internet. A cada ano milhares de livros sobre o assunto “emagrecer” chegam às lojas, receitas de formulas caseiras, programas de exercícios, aparelhos de estimulação, shakes, remédios, é uma montanha de coisa focada em fazer as pessoas perderem peso…

A verdade, meu amigo, é que para uma fatia monumental da indústria chamada “indústria do bem estar” manter pessoas gordas e com sentimento de culpa é um bom negócio.

Essas pessoas não pouparão recursos e investimentos para conseguirem emagrecer. E nisso, gastarão fabulosas somas de dinheiro. Quantas empresas vivem de vender falsas esperanças por aí, mostrando carinhas bombados e mulheres com barriga negativa?

No fim da linha estão as clínicas estéticas, cirurgias plásticas e até bariátricas, que oferecem uma promessa de rápido emagrecimento, embora com custo elevado e riscos inerentes a cada procedimento.

A obesidade tem sido difícil de tratar com as drogas, principalmente porque muito remédio para emagrecer dava tanto efeito colateral que acabou sendo retirado do mercado. Tipo o remédio em que o cara emagrece mas pira da cachola. Compensa? Eu acho que não.

A cirurgia para emagrecer quase sempre está focada na busca por uma redução substancial da gordura para melhorar a qualidade de vida de um paciente ainda obeso, mas que poderá aumentar o esforço nos treinos. Geralmente é a famosa redução de estômago, que só se faz em obesos mórbidos. Nos obesos medianos, o trabalho quase sempre fica por conta da lipoaspiração, que é importante lembrar: Deve ser feita SEMPRE em um hospital ou clinica que tenha um CENTRO CIRÚRGICO APROPRIADO. Volta e meia vemos pessoas se ferrando em verdadeiros açougues clandestinos.

A Medicina agora estuda uma nova abordagem, menos perigosa, menos invasiva e mais rápida para fazer a pessoa emagrecer sem sofrimento.

A ideia é pegar uma bactéria inofensiva e modificá-la geneticamente, afim de criar com ela um remédio para emagrecer . Um grupo de pesquisadores acreditam que isso é possível. E o que é melhor: eles já tiveram sucesso com uma versão geneticamente alterada da bactéria E. coli em ratos, e os resultados foram absolutamente incontestáveis: os camundongos com as bactérias ganharam menos peso do que seus colegas que não ganharam os “amiguinhos”.

Os cientistas escolheram uma cepa particular da E. coli para seus experimentos. Eles acrescentaram um gene de uma planta chamada Arabidopsis que estimula as bactérias a liberarem hormônios que por sua vez ligam sinais químicos no corpo para começar a processar a gordura.

Quem diria que uma plantinha tão bonitinha ajudaria tanto os obesos?
Quem diria que uma plantinha tão bonitinha ajudaria tanto os obesos?

Os hormônios da bactéria transgênica viajam para o cérebro através da corrente sanguínea, onde eles dizem ao cérebro que ele já comeu. Assim, o mecanismo de saciedade é disparado, como se você estivesse saindo de uma churrascaria, mesmo com o estômago vazio.
Os ratinhos tratados receberam refeições com alto teor de gordura durante oito semanas numa agenda específica, mas as suas refeições foram menores do que aqueles do grupo de ratinhos de controle.
info_fig02

Os ratos tratados com a alteração E. coli comeram menos e ganharam menos peso do que os ratos que não foram tratados. Não só isso, eles também obtiveram um ganho extra ao reduzirem os problemas de saúde como diabetes e resistência à insulina. O mais notável é que estes ratos ainda estavam se beneficiando das bactérias alteradas até 4 a 6 semanas depois das doses serem retiradas.

Portanto, esta pode ser a tão sonhada droga milagrosa que o mundo vem esperando aparecer. Essa é uma jogada de bilhões, talvez trilhões de dólares!
No entanto, temos que lembrar que os ratos não são pessoas (nós tendemos a esquecer certas peculiaridades de espécies diferentes quando se escreve sobre estudos como este), então, só o tempo (e os ensaios clínicos humanos) dirão se já podemos comemorar com um hamburgão matador com bacon e um milkshake para companhar.

Eventualmente este tipo de assunto também pode dar uma boa base para um filme de apocalipse. Imagine só um mundo onde geral bebe sua dose de bactérias transgênicas diárias e pode comer o que quiser… Um dia a desgraçada dá uma mutação e CRÉÉÉÉÉU! Todo mundo vira zumbi!

fonte

Related Post

11 comentários em “Apareceu um novo jeito de emagrecer e acabar com a celulite: Bactérias!”

  1. Ah, mas isso meio que já é feito. Dieta paleolítica. As pessoas se alimentam mais com gordura do que com carboidrato e perdem peso naturalmente. E rápido. A quantidade calórica acaba sendo menor porque gordura sacia mais. Mas, claro que só ingerir umas cápsulas seria muito melhor do que virar a cara para o milkshake.

    • neste caso a bacteria transgênica começa a queimar a gordura e dá sensação de saciedade. Acho que é uma proposta diferente da dieta paleolitica, onde a pessoa continua com as próprias bactérias de sempre.

    • Dieta paleolítica não é se alimentar mais de gordura, até porque nesse período, a gordura era um dos nutriente mais escasso nos alimentos.
      Essa dieta se baseia em uma alimentação ancestral, sem glúten, laticínios e etc.

  2. E se essas bactérias evoluem e começam a explorar recursos do nosso intestino para criar tecnologias, construir cidades, viajar até outros órgãos. Tá, parei!

  3. No filme “Enigma do outro mundo” em que no gelo o alien numa aurea de nausea total desprende a cabeça do corpo e a cabeça cria patas e sobe no teto, uma nojeira que beira o estado da arte. Mestre Gump, o seu talento já fez vc ganhar uma vaga no olimpo dos grandes visionários, seria viável financeiramente criar um busto do alien nesta cena do filme? Já assistiu?

    • Tipo este aqui?

      Veja mais em http://www.therpf.com/f9/thing-123891/

      Viável é, o problema é que geralmente essas paradas de filme acabam em ameaças de processos por violação de direitos autorais. Eu poderia fazer pra mim, mas não vender.

  4. Cara desculpa usar o tópico pra isso mas acabei de ler http://www.mundogump.com.br/ocultismo-parte-1-o-dia-em-que-eu-hipnotizei-o-popozinho/ e estou esperando a parte 2… Rola?

    • Maior galera me pede essa parte 2, mas ela envolve uma pessoa que não quer que eu conte a parada. Aí em respeito a ela, resolvi deixar quieto.

  5. Isso me lembra aquela substância desenvolvida para criar músculos sem exercícios. Deu resultados maravilhosos em animais, inclusive no porco, onde é usada até hoje para criar músculos (carne) para o abate. Esperavam criar fisiculturistas sem esforço. Foram testar em humanos e o resultado foi zero. Infelizmente a ciência tem dessas coisas…

  6. Philipe, já leu sobre transplante de fezes? Alguns estudos sobre obesidade mostraram que “transplantar” fezes de pessoas magras para pessoas obesas funciona porque muda a microbiota intestinal. Magros tem bactérias que gordos não tem.

    Mas só de imaginar dá arrepios….
    http://mundoestranho.abril.com.br/materia/como-e-feito-o-transplante-de-fezes?conteudo-relacionado

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares