A pimenta mais ardida do mundo

Dizem que “passarinho que come pedra sabe o * que tem”. Então, se você é daqueles que vai em Salvador e pede seu acarajé quente, pelando… Quero ver você comer com essa pimenta aqui, ó:

Dizem que essa é a pimenta do diabo. Também conhecida pelo nome de Naga Jolokia.
No ano 2000, os cientistas no laboratório de defesa da Índia (só podia ser! Vai gostar de pimenta assim lá no raio que o parta, meu. ) reportaram a Naga Jolokia como sendo a mais potente do universo conhecido, atingindo um score de 855.000 unidades na escala Scoville.
A escala Scoville foi criada para poder estimar com precisão o quanto uma pimenta pode ser ardida. O processo é científico. A pimenta contém a capsaicina, que é um componente químico que estimula os termoreceptores da pele, sobretudo nas regiões de mucosa. Assim, quanto mais capsaicina houver, mais quente é a sensação.
O valor é dado baseado na dissolução da pimenta e seu princípio ativo.
Assim, uma pimenta que leva nota 200,000 ou mais, indica que ela poderá ser diluída 200.000 vezes até que seu princípio ativo não seja mais percebido.

Um tempo depois, um dos exportadores da Naga Jolokia conseguiu um novo laudo onde alguns exemplares da Naga chegaram ao bizarro valor 1.041.427 unidades na mesma escala, o que mostrou que a Naga Jolokia é mais de duas vezes mais quente que a antiga recordista, a Red Savina.

Em fevereiro de 2007 o Guinness certificou a pimenta como a mais ardida do mundo.

Essa é daquelas que a gente come e quando faz xixi, ele derrete o vaso sanitário.

7 Comentários

  1. MÁRIO MOURA FILHO 26 de outubro de 2007
    • Otacílio Lagranha 15 de novembro de 2010
      • Ronaldobpaula 18 de maio de 2012
  2. Philipe 26 de outubro de 2007
  3. karen 12 de agosto de 2008
  4. Oswaldo 25 de dezembro de 2008
  5. sergio 10 de abril de 2009


Deixe seu comnetário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *