A maior aranha do mundo

A maior aranha do mundo é a Goliath bird eater. Ela tem este nome pelo óbvio motivo de comer passarinhos.

Muita gente morre de medo de aranhas, mas esta tarântula é inofensiva aos humanos. Apesar de carregar presas venenosas como todas as aranhas, seu veneno não é letal a humanos, só a pequenos insetos, roedores e passarinhos. Uma característica bizarra desta aranha, além do tamanho é que ela faz barulho. É estranho imaginar que uma aranha faça barulho. Mas a Goliath esfrega uma pata na outra, prpfuzindo um ruído de alta frequencia similar ao do grilo, que pode ser ouvido de longe.

A Goliat, como todas as demais tarântulas, esfrega a bunda com as patas trazeiras quando em situação de alto estresse. Isso gera uma nuvem de micoscópicos pelinhos no ar, que são irritantes aos humanos.

As tarântulas tem este nome provavelmente devido a cidade italiana de Tarento, onde são numerosas. antigamente acreditava-se que ao morderem alguém, esta pessoa só se veria livre da morte se dançasse até a exaustão. Daí surgiu uma dança típica na itália, que se chamou Tarantela.

Existem cerca de 2000 espécies de tarântulas, espalhadas por todo o mundo, até mesmo nas montanhas altas e no ártico. As tarântulas andam pelo chão, de vez em quando sobem pelas plantas, à procura de insetos. Elas não tecem teias para apanhar a presa. Quando não estão caçando, escondem-se debaixo das pedras ou tocas. A tarântula fêmea prende seu saco de ovos ao corpo com os filhos secretados pelas glândulas fiandeiras. Quando os filhotes nascem, a mãe os carrega nas costas. Se um deles cai sobe de novo pelas pernas da mãe. As tarântulas têm tato bem desenvolvido. Elas podem ser criadas como bicho de estimação, mas precisam receber água quando vivem em cativeiro.

Eu tive uma aqui em casa, que criei por uns meses num aquário adaptado. Ela tinha sido capturada por um funcionário da empresa do meu pai e o cara ia matá-la. Quando vi, fiquei com pena e pedi pra mim. Fiquei criando a aranha por um tempo, mas não consegui manuseá-la. Ela era altamente agressiva. Assim, eu tinha que alimentá-la com baratas vivas. Mas conseguir pegar uma barata viva dá um trabalhão danado. Encomendei uma caixa de grilos com um cara de São Paulo, mas a caixa demorou a chegar. Vendo que a aranha estava faminta, comecei alimentá-la com larvas de tenébrio. Mas levar a larva pra ela era um suplício, já que a aranha enxerga mal pra danar, e a larva era muito paradinha. A solução que eu achei foi amarrar as larvas de tenébrio em uma linha e descê-las no chão do aquário, fazendo com que parecessem rastejar perto da aranha. Aí a bichona pulava em cima e comia a larva todinha.

Um dia eu cheguei em casa e vi que a aranha estava comendo uma das próprias patas. Puts, que nojo e pena que eu senti ao mesmo tempo. Eu acho que isso tem duas hipóteses. Uma é que a aranha estava com a pata machucada na captura pelo empregado da firma. A outra é que ela estava praticando autofagia em decorrência de um forte estresse. Do buraco onde era a perna, ficou saindo uma baba transparente que no segundo dia parecia ter solidificado. A aranha ficou numa boa por um bom tempo sem aquela pata. Um dia eu a encontrei morta. Os grilos encomendados nunca chegaram.

Eu fiquei triste, mas a Nivea, que detestava a idéia de ter uma tarântula grande, peluda e nervosa em casa, ficou aliviada com o falecimento da bichinha.

Artigos relacionados

90 Comentários

Compartilhe suas ideias