A gestão da babaquice

Como os leitores fiéis sabem, eu moro em Niterói, e gosto de morar aqui. E é talvez por gostar de morar aqui, que certas notícias me causem grande revolta.
Uma delas é a notícia de que o prefeito Jorge Roberto Silveira quer construir em Niterói uma torre panorâmica com vista para a Baia da Guanabara ao custo de 20 milhões de reais.

Com apenas 60metros de altura e forma de beleza questionável, a construção visa oferecer aos turistas e curiosos um ponto de vista diferenciado da cidade.Os recursos serão provenientes de um convênio entre o Estado e o Governo Federal, por meio do Ministério do Turismo, mas certamente que a prefeitura terá que entrar com uma parte no investimento.

Photobucket

Antes de mais nada, vamos esclarecer uma coisa. Quando se fala numa obra de 20 milhões de reais, pode escrever que não vai custar isso. Vai custar mais. É assim que as coisas funcionam. No papel é um valor, aí o orçamento estoura, culpa-se a crise, culpa-se os astros, culpa-se a volatilidade do capital, enfim, culpa-se a Deus e ao Mundo, e ante a ameaça da paralisação das obras do literal desperdício em todos os sentidos, o orçamento vai se alargando. Casos como as obras do Pan são o mais claro exemplo de como o dinheiro do contribuinte desaparece com rapidez. Aliás, desaparece não, porque dinheiro nem brota e nem some, ele só muda de mão. O meu sonho era morar numa cidade que tivesse grandes e imponentes construções, museus famosos no mundo inteiro, prédios sensacionais como as grandes torres de Dubai. Mas não vivo em Dubai.

Não estamos falando da Suécia, da Dinamarca, nem da Holanda, meus amigos. Estamos falando de uma cidade em que morro de lixão desaba e mata gente. Uma cidade em que o prefeito passou a maior vergonha da história, por ter sido horrendamente desmentido pelo seu próprio secretário de obras sobre ter sido avisado da potencial tragédia no morro do bumba. Ele foi avisado que aquilo podia desabar e não fez nada.

O prefeito se defendeu dizendo que “não sabia”. Desde que o Lula fez escola, alegando o desconhecimento, que este estratagema é usado até enjoar pelos políticos que não têm o comprometimento que deveriam ter para com a sociedade que vota neles.
Você, inocentemente, poderia até pensar que o “coitado” passou vergonha ao demonstrar total incapacidade de lidar com as crises, mas antes que faça isso, eu tenho que dizer apenas uma coisa: Não foi um mal negócio!
Sim, meu amigo. Os pobres morreram, desabou tudo, foi uma desgraceira de dar gosto e o prefeito todo pimpão. Por que? Porque quando dá uma zica dessa magnitude, há a decretação de estado de emergência, calamidade pública, o que significa liberdade total e irrestrita de CONTRATAÇÃO DE EMPREITEIRAS SEM LICITAÇÃO.

Entendeu agora o que eu estou dizendo? —->Grana rolando solta. $$$

A população revoltada, vive comentando da casa do Jorge Roberto em Miami. Tudo começou quando o Emerson Fittipaldi esteve no programa do Jô Soares. Quando este elogia a casa do primeiro em Miami, Emerson responde: “você não conhece a do Prefeito de Niterói, meu vizinho”.

Segundo o que dizem na cidade, a casa do prefeito de Niterói em Miami é deslumbrante, e é lá que ele se refugia com a família, embora mantenha um endereço na cidade brasileira por razões óbvias.  Seja como for, é algo que não pega bem.

Mas vamos voltar a falar do que interessa, que é esta trapizomba que o prefeito quer erguer na cidade ao custo de 20 milhões de reais.
de fato, vinte milhões de reais pode parecer muito dinheiro para pessoas físicas, como eu e você, mas na verdade, isso é pouca grana. A Petrobrás fatura isso em poucos segundos. A IBM fatura isso em poucos segundos, o Google fatura isso em poucos segundos, o Mc Donald´s, a Coca Cola, a Honda e até o Ronaldo Fenômeno faturam isso mole, mole. Mas considerando que ele vai fazer isso com o MEU DINHEIRO aí é caro pra danar!
Já que ele vai usar O MEU DINHEIRO (e o seu, já que uma parte quem pagará é o governo), que eu paguei na forma de um dos mais caros IPTUS do mundo, eu gostaria de ter o direito de questionar qual é a taxa de retorno desse investimento, ou em português claro:

Como que essa esquisita torre de 60 metros vai se pagar?

Turismo? Ótimo. Eu amo o turismo. Adoro ser turista, adoro que os turistas venham à minha cidade, tirem milhões de fotos, comprem bugigangas aqui, deixem uma parte de seu rico dinheirinho para que a cidade possa REINVESTIR em melhorias para OS QUE AQUI VIVEM.

Eu acho ótimo que a cidade ofereça mais um belo local para as pessoas subirem e tirarem fotos, mas, veja bem, nós temos isso aqui que a Mãe Natureza deu “DI GRATIS” pra nós, ó:

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Aí fica a pergunta: Pra quem tem este lugar, grátis, (e atualmente inacessível à população e aos turistas devido ao desabamento das chuvas e à ineficiência da prefeitura em desobstruir a passagem) precisa construir uma trapizomba de míseros 60 metros? É necessário?

Tem gente que não gosta do Jorginho porque ele gosta de fazer obras faraônicas. Eu confesso que tenho uma postura dúbia em relação a isso. Eu enxergo nos investimentos desses grandes projetos, legados para a cidade e para seus habitantes. Alguns eu considero de inegável valor, como o Museu de Arte Contemporânea, o MAC:
Photobucket

Custou caro, levou tempo pra ser feito, mas hoje é um patrimônio da cidade. Então, por mim, tudo bem. Quem vai lá, tem a oportunidade de se aculturar, de desfrutar de uma das mais belas vistas do mundo. O museu arrecada, e por isso, dá algo importante em troca de sua construção.
Agora, o que é que uma torre de 60 metros vai poder acrescentar? Uma vista. Ótimo, mas isso a gente já tem.
Eu não sou daqueles caras bitolados que sempre vem com quatro pedras na mão quando um prefeito decide investir muito dinheiro em alguma coisa que promete difundir a cidade.

Este é o papel deles. Não é porque tem um monte de pobre morando mal, em barracos, em favelas, esgoto a céu aberto, que os grandes projetos devem parar. Mas eu acho que com grandes problemas desse tipo, começar certos projetos é como cuspir na cara do povo.

Afinal, o prefeito e sua conjuntura, tem a OBRIGAÇÃO de resolver os problemas de infraestrutura e aí, se der, se sobrar uma grana, investir nessas grandes obras faraônicas. Mas não é toda obra faraônica que se torna um elefante branco. Quer um exemplo? Oceanários.
Um dos tipos mais caros de obras públicas é a que envolve oceanários. Por que? Porque além de exigirem muito espaço, grandes construções, exigem muito nas questões técnicas, já que são aquários gigantes, repletos de criaturas vivas dentro. É parecido com um zoológico submarino.

As pessoas vão lá e saem conhecendo centenas de espécies de animais, entendem a importância de não poluir, dos riscos, das questões ambientais, da preservação e etc. As crianças ficam maravilhadas. E toda essa maravilha tem um preço.

São coisas gigantescas, que se complicam nem tanto pelo custo da construção, mas principalmente da manutenção (alimentação, limpeza, cuidados de saúde dos peixinhos, renovação das atrações e mil coisas mais). Então, é caro, é complexo, mas é algo que dá resultado.

A gestão da babaquice

O mundo está repleto de bons exemplos. Citei os oceanários porque pra começar, alguns dos maiores estão nos EUA, terra em que Jorginho e sua prole habitam atualmente, e ele poderia ir lá com a família pra ver, se inspirar, ou apenas entender que uma obra feita com dinheiro público visando o turismo deveria ao menos tentar se pagar.
O oceanário de Baltimore, em grande parte, foi financiado pela cidade, que entrou com 21,3 milhões de dólares na construção. Outros 20 milhões vieram de fundos e contribuições privadas. O terreno era público. O aquário é gerido por uma corporação sem fins lucrativos. O melhor: trata-se da maior atração turística do estado de Maryland. Só em 1990, os gastos dos visitantes geraram uma renda de U$ 128 milhões para a região. A hotelaria ganhou três mil novos quartos de hotel e a frequência anual é de 1,6 milhão de visitantes.

Já o oceanário de Vancouver, o Aquarium Marine Science Centre, no Canadá foi fundado em 1956 e as estatísticas sugerem que mais de 30 milhões de pessoas já o tenham visitado. O orçamento anual é de 20 milhões de dólares. Uma fundação cuida da administração. Na Califórnia, Monterey Bay Aquarium, custou U$ 55 milhões, mas foi um presente para a comunidade dos milionários David e Lucile Packard (o fundador da HP e sua esposa).

Um presente como a Petrobrás (que gosta de bater no peito e dizer que investe em meio ambiente) poderia dar ao Rio ou a Niterói. No aquário de Monterey, é uma fundação cuida da gestão do empreendimento. Para garantir o orçamento anual, conta com rendimentos provenientes de ingressos, contribuições pessoais e de empresas e realização de eventos especiais. Cerca de 1,8 milhão de pessoas o visitam a cada ano.
Já o Aquário da Carolina do Sul, começou a ser planejado em 1980, quando o prefeito José Riley visitou o Shedd Aquarium, em Chicago, e decidiu que a Carolina do Sul deveria ter o seu. A construção custou 69 milhões de dólares. O aquário é mantido por um conselho de administração.

Um dos mais impressionantes é o famoso Oceanário de Lisboa. Ele foi inaugurado em 1998 e contou com subvenções da comunidade européia, que precisava estimular o desenvolvimento de Portugal. É hoje o espaço que mais motiva a visita de turistas a Portugal.

A gestão da babaquice
O oceanário de Lisboa

Niterói parece querer atrair turistas com sua trapizomba, digo, torre de 60 metros. Pelo menos a desculpa esfarrapada oficial para licitar a obra é essa. Mas não seria mais vantajoso fazer um aquário nos moldes desses que DERAM CERTO? Ainda mais no Brasil que dispõe de uma única e riquíssima flora e fauna, uma diversidade espantosa de animais de rios, lacustres e marinhos. Afinal o Brasil é o país onde está o maior rio do mundo. Somos um país com uma área de costa de aproximadamente 14.000km. Somos o país de onde saem mais de 20 milhões de peixes ornamentais por ano para todo o planeta, uma atividade que movimenta anualmente cerca de U$ 3 milhões no Brasil.

Agora, numa cidade com tanto problema de segurança, saúde pública, saneamento básico, educação, trânsito, infraestrutura para ser feito neguinho querer licitar torrezinha de olhar paisagem? Isso é a mais pura gestão da babaquice. Vai me desculpar, mas quem faz isso com o povo merece é um tiro na cara.

Related Post

31 comentários em “A gestão da babaquice”

  1. Duas coisas que deviam ser levadas muito a serio pelo governo (federal, estadual e municipal): controle de natalidade e incentivo ao turismo.

    (Eu compreendo a importancia artistica e historica do Niemeyer, mas sinceramente nao gosto da arquitetura dele, acho fria).

  2. olha cara, me desculpa, mas o Jorge Roberto Silveira não mora em Miami, eu conheço a familia dele que mora, junto com ele, em um apartamento em Niterói, que por acaso fica atras do MAC (umas das areas mais valorizadas de Niterói)…..

  3. O Governador aqui do CE está com uma obsessão para construir o Aquário de Fortaleza. Inclusive já tem “paitrocinadores” de peso (Jereissati) que montou uma miniexposição no Shooping da Familia.

    Mas, levando em conta que recentemente a briga de Egos entre a Maroquinha (Governo) e Moniquinha (Prefeita) fizeram Fortaleza perder o Estaleiro da Petrobrás, Refinaria e daqui a pouco a Siderurgica duvido que isso saia um dia do Papel.

    Foi um parto o inicio da construção do novo centro de Convenções aqui, pois tiveram de demolir a Academia de Policia e a prefeitura quis “apropriar-se” do terreno, por pura birra.

  4. Se abrir um oceanário em Niteroi as atrações vão ser:

    – Sardinha
    – Baiacú
    – Espada
    – Sardinha (de novo)
    – Tartaruga

    E vão mandar encher e esvaziar o oceanário igual ao piscinão de são gonçalo e de ramos – de acordo com o “clima” politico o oceanário seria ativado e desativado.

  5. Na época que construíram itaipu, teve gente que meteu o pau, chamou de obra faraônica e o scambau. Hoje se a energia cai 5 minutos todo mundo reclama. Imagine se não tivesse itaipú, então? Mas há obras e obras: Itaipú é uma obra que beneficia a grande maioria. uma torre surrealista de 60 metros feita para agradar só a alguns, é de uma legitimidade duvidosa.Todo mundo V os dramas da poluição, dos transportes, do crime, da enchentes no Rio de Janeiro. O prefeito devia acordar e investir em coisas que beneficiassem a maior parte do povo, e não apenas alguns gringos alegres.

    • Pois é. Itaipu foi uma obra grande e cara, mas era obra de infraestrutura. O problema do Brasil é que os políticos gostam mais de fazer obras cosméticas que obras de infraestrutura, porque geralmente este tipo de obra além de cara, envolve desapropriações, envolve produzir incômodos diversos e a natureza do político brasileiro é imediatista.

  6. Cara é de grande valia tua indignação, eu fico puto por muito menos, fico indignado com um simples atraso no uniforme escolar da prefeitura. Se me permite, vou usar teu post para um desabafo também.
    A politica não vai mudar tão cedo nessa terra. Já tentei entender a causa de toda essa merda que os politicos fazem. Afinal o que um politico sabe fazer? Nada! Se fossem bons e bem sucedidos em alguma coisa não seriam candidatos a nada.
    A lógica por traz dessa corrupção e gastos absurdos do dinheiro público é mais simples do que parece, afinal se você colocar um sistema complexo, esses merdas não vão conseguir entender.
    Eles precisam gastar o dinheiro do orçamento. Se tem um dinheiro do turismo, vamos fazer qualquer merda desde que gaste o dinheiro. Se eles não gastam, não vem mais, é simples assim. Se demorarem muito pensando em como gastar, perdem. Se envolverem pessoas honestas e com boas ideias elas não vão aceitar cobrar 10 vezes mais pro politico levar “a bola”.
    Por que tem tanta gente incompetente ou sem noção por traz dessa gestão de merda? Pelo simples fato de que uma boa parte das que estão lá, foram motivadas pelo bom salário e estabilidade de emprego e não porque poderiam fazer um bem a sociedade.
    Você já se sentiu tentado em fazer um concurso público para trabalhar em qualquer merda que seja apenas porque pagam mais do que você ganharia em uma empresa? Pois então, quantos estão lá com essa mesma motivação?
    Essa cultura sem apego ao bem comum, só pensando em levar vantagem, completamente egocêntrico, ensinado por todo país, principalmente pela midia televisiva é o que traz esse resultado.
    Isso não é culpa desse prefeito ai, nem da sua gestão. É reflexo da nossa cultura politica que não anda pra frente que a cada dia ensina que a esperteza é sinonimo de sucesso.
    Quer acabar com essa folia? Tem 3 formas:
    1. Cuida bem dos teus filhos, participe do ensino de alguma forma, e ensine a toda criança que levar vantagem é errado! Coisas simples como atravessar na faixa, não andar no acostamento, esperar a vez na fila, que muitos ganhando menos é melhor que poucos ganhando muito, escrever, ler, matematica e história, controlar a ansiedade, estudar para aprender e não para passar na prova, entender os mitos da humanidade, ensinar que religião e fé não são obrigatórios, e por ai.
    2. Faz como na França, corte cabeças, muitas cabeças, mas esteja preparado para ter boas cabeças para depois.
    3. Vá assistir à copa do mundo.

    • Pois é. Acho que a copa do mundo é a forma da população se anestesiar da vergonha que a política brasileira nos provoca. Não posso culpar o povo por isso, mas é deprimente imaginar que enquanto as pessoas pensam no dunga e seus jogadores, os deputados aumentam novamente os próprios salários.

  7. babaquice é escutar o galo cantar e não sabe onde. Sobre o Bumba, o prefeito de Niterói entre 2002 e 2008 foi o Godofredo Pinto (alguém se lembra?!), do PT. E segundo a revista Época, o estudo da área de risco é de 2005, e em 2007 a prefeitura recebeu 1,6 milhões de reais do governo federal para lidar com áreas de risco. Nenhum viadinho petista de merda tem peito de perguntar ao Godofredo Pinto o que foi feito com a grana, e porque o problema não foi sanado se tiveram tempo e recursos para fazer alguma coisa (1,6 milhões de reais é pouquinho, né.. mas dá para fazer alguma coisa, num dá?).

    A postagem começa ainda dizendo que é um absurdo fazer obras para a cidade e no meio do caminho afirma que o Museu de Arte Contemporânea foi uma boa sacada… Qual é!? Não sabe o que pensar?

    E onde está a entrevista do Fitipaldi no Jô? A anos que tento encontrar isso e não vejo!!! Hahahah! Um tremendo de um boato que nego repete sem verificar. Mostra essa entrevista aí! Depois mostra a mulher de branco, a mula sem cabeça e o saci pererê! Hahahah!

    mandou mau nessa x_x

    • Essa entrevista tem muito tempo, eu assisti, mas não tem no youtube, porque ela é de muito antes do youtube existir.
      Sobre a questão do Godofredo, concordo integralmente com você que ele foi outro belo prefeitinho de merda em Niterói, que só fez aumentar a especulação imobiliária.
      A postagem não começa dizendo que é absurdo fazer obras. A postagem começa dizendo que é absurdo gastar dinheiro fazendo OBRA COSMÉTICA INÚTIL. Não sou contra obra útil. O que lhe pareceu contradição é a mais pura e sincera coerência.

      • Philipe o Gabriel deve ser mais um daqueles que ganham aperto de mão, boné, camiseta, brochinho e teve a rua asfaltada, com capa de asfalto, pelo governo do prefeitinho de Niterói. Mais um que vai votar, de novo, nessa merda seja lá quando for.
        Haja saco! E ele ainda diz(escreve) que você não sabe pensar?!
        E quanto a entrevista feita pelo Jô ao Fitipaldi eu também assistí.
        E ele, o prefeito de Niterói, também tem uma mansão em Arraial do Cabo, de frente para o Mar.
        Forte abraço Philipe e sucesso em sua empreitada.

  8. Aos que defendem esse “refugo” político que é esse tal de jorge roberto silveira e sua corja(escreví o nome dele em minúsculo mesmo, de propósito.), que a 20 anos impera em Niterói, eu peço encarecidamente que acordem e abram os olhos porque esse cara não presta para administrar a cidade. Se o pai dele fez uma boa(?) administração em Niterói não quer dizer que ele também fez, ou faça. Mas deveria!
    Esse cara(o prefeitinho) tá maluco? Esqueceu de algumas cousinhas que aconteceram na cidade e que estão para acontecer? Ou, na verdade ele está pouco se lixando para ela, o que é obvio que esteja acontecendo.
    Basta a ele um dar boné, uma camiseta, um abraço e um aperto de mão que “zé povinho” se derrete e o elege.
    Quanta gente burra e cega é essa de Niterói!!!

  9. Tadinho do Jorginho! Elezinho não tem culpinha de nada! Nas próximas(próximas!) eleições para perfeito(perfeito!) vou votar nele. Ele é bom, é simpático, fala bem, tá doentinho, fez, faz e vai fazer muito por Nicterói, vai construir a tal da vista panorâmica em Icaraí(?), tudo que se precisa em Nicterói e tudo o que faltava e, que só vai custar, por baixo, MAS BEM POR BAIXO, R$ 20.000.000,00 e, vai mais uma vez, deixar quem realmente precisa(os pobres!) na mão. E os pobres, assim como eu, e os pseudos ricos que trabalham para os ricos do Rio, votarão nele, porquê se sentem bem com a prezença dele na prefeiturinha…porquê ele é simpatico, está dodói,fez ciclovia, botou coqueirinho nas vias, criou(?) o “Médico de Família”(que também é conhecido como “comédico de família”!) etc., etc.,…
    Volta na próxima Jorginho. Dependemos tanto de você!

  10. Se prepara cambada que com esses acontecimentos no RJ a mulambada tende a vir para cá, fora os que já estão, principalmente na RO. e, vocês sabem muito bem, o prefeitinho dessa nossa cidade tá se lixando para isso!

  11. Concordo com quase tudo. Mas oceanário em Niterói pra quê? Pra ver cocô boiando na Baía de Guanabara né? Só se for! Até porque, nem as praias da Região Oceânica são a mesma coisa, já que uma quantidade absurda de esgoto é jogada nas praias sem dó e nem piedade..

    • Fernanda, um Oceanário não mostra a baía, e nem usa a água do lugar. Ele mostra justamente a vida marinha que é destruída com a emissão de esgoto sem tratamento e contribui para educar a população.
      A boa notícia é que as taxas de poluição da Baía da Guanabara felizmente vem caindo bastante nos últimos 5 anos e os golfinhos já voltaram. Mas ainda há muito o que fazer. O fato do porto ser justamente no interior da Baía é um forte fator contaminante da água, pois eles lavam os tanques e jogam o óleo no mar. As autoridades sabem e nada fazem.

  12. Nicterói quarta cidade em qualidade de vida (para os mosquitos da dengue). A única cidade do mundo que teve um tissunami (de cocô). Cidade linda, vista de Miami fica mais bonita ainda.

  13. Essa parada de Miami é um hoax que pegou…. Dizem em Niterói, que o JRS vive lá, que o Emerson Fittipaldi tinha dito algo que a casa dele só perdia em beleza para a do JRS, o “prefeito de Niterói”…. Isso é mentira…. Quando morei no interior de SP, rolava esse boato da mesma forma, só que com o prefeito daquela cidade que morava e resolvi pesquisar…. Aí achei o mesmo boato com pelo menos 5 prefeitos de cidades diferentes…. Joga no google um Emerson Fittipaldi + Prefeito + Jô, que vc vai ver vários prefeitos, incluindo o JRS….

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

shares