• Derah Man

    O novo Mundo Gump está excelente.
    Boa sorte.

    Só um detalhe o desastre de Chernobyl foi em 26 de abril de 1986.

  • Will

    Ótima materia, nunca pensei que algo vivesse em chernobyl.
    Será que daqui pouco acham cachorros mutantes igual no jogo stalker? hehe

    O novo mundo gump esta ótimo, como sempre foi

  • De Carli

    Philipe, td bem!?!
    Cara, só um detalhe, na primeira linha o ano está errado, da uma corrigida ae!!
    Abraço!

  • Corrigi, valeu. (cachaça é foda!)

  • mitra

    nossa… isso é mais bizarro que o video da bruxa ( http://www.youtube.com/watch?v=NqugKE8QZH8 ) que acabo de assistir! tive até um baque ao saber da existencia do tal fungo.

    sobre o acidente, há tempos atras, um antigo professor meu contou-nos a verdadeira historia do acidente. ele conhecia um dos operadores da usina. bom, nao lembro os detalhes e nao consegui gravar por mto tempo as informacoes mais tecnicas dessa historia, mas sei como começou: atraves de uma ridicula aposta entre dois operadores, algo do tipo: “o motor propulsor aguentaria ou nao se submetido à certas condicoes (nao lembro quais)”. e, bem… ele nao aguentou. no final, acho que nao houve vercedor…

    ah, sucesso com a nova fase do Mundo Gump 😛
    apesar de quase nunca comentar, estou sempre acompanhando teu blog.
    abraços!

  • Fabiano

    Pelo que eu vi no discovery o cara que comandava a usina quiz fazer o teste com o reator gerando algo como 400KW (tô dando exemplo) e o manual dizia que o mínimo era 2000KW! Como o próprio reator puxava a água para se resfriar a usina acabou superaquecendo e se derreteram as paredes do reator. Jogaram barras para parar a radiação (barras de segurança na tampa do reator) e isto fez o efeito contrário – uma explosão!

  • dj Yako – o dj japonês que não é dj nem é japonês.

    Claro que nós nos alimentamos de radiação, embora em escala não tão radical, porém a luz do Sol, indispensável à vida, é um tipo de radiação e ponto.
    E mais: alguém já ouviu falar da Radiodurans, uma forma de vida que existe DENTRO dos reatores nucleares e possui a capacidade de reconstruir o próprio DNA?
    Existe e existe, TÔ FALANO, brother!
    Mais incrível que isso, só aquela bactéria Bacilus Permians, que ficou 250 milhões de anos adormecida dentro de uma pedra de sal e há pouco tempo “acordou”.
    Dizem que a primeira coisa que ela fez foi ir até a garrafa de café do laboratório. E encheu a cara de cafeína.

  • 5YN7H371C

    É meio obvio que viveria algo lá, esses cientistas são tudo tapado, o mundo se adapta.
    Em outros planetas também à vida, só que esses cientistas acham que só pq nos respiramos Oxigênio os outros animais tem que respirar Oxigênio, eles podem respirar metano, ou outra coisa ou nem respirar viver de outra coisa.

    Nos podemos nos mutar, talvez se nos vivêssemos a uma umidade muito alta durante anos nos poderíamos desenvolver branqueas e poderíamos respirar na água, e depois ocorreria a mutação no nosso corpo para podermos se locomover melhor, ou se não se fossemos exposto a radiação pequena e aumentando gradativamente nós nos mutariamos.

    Mas claro isso duraria anos muitos anos

    Abraço a todos.

  • Douglas Reck

    Acho meio fraca como prova do início da vida, por favor parem de fantasiar e estudem um pouco. Porém uma boa notícia que algo resiste a aquele tipo de radiação.
    Abraço a todos.

  • Li isso na SuperInteressante agora, fui no google pesquisar e me traz de volta ao mundo gump!
    Parabéns pela ótima matéria, que está mais completa que a da própria revista!

  • Eu também li isso na Super Interessante, e fui pesquisa no google que também me trouxe ate aqui!!!

    O artigo está excelente…Abraço a todos…

  • Ana Carolina

    :love: D: :shocked: x_x

  • joao

    quando eu li “um limo negro descendo” achei q era um reaper do resident evil 5!

  • ygor

    fiquei meio frustrado 😐
    eu tava pensando em um monstro q nem do godzilla
    mas mesmo assim é espantoso

  • Marcio_059

    Parece informaçao falsa pq o local foi coberto com centenas de toneladas de chumbo e concreto para evitar novos vazamentos.