21 Comentários


  1. Vishhhh, a veia rastreou a ligação e achou o amor do Anderson, kkkkkkkkk. Veia esperta, agora o Anderson tem que ir lá salvar a sua amada e enfrentar forças sobrenaturais. Tá ficando emocionante essa história…

    Responder
  2. Ivaneide

    Olha essa mancada! o Cabelinho já havia morrido no hospital..né? mancadinha, o Cabelinho já estava morto! ele morreu duas vezes!

    Responder
  3. Thiago chipset

    Verdade… o cabelinho já tinha morrido no hospital, e sua alma eu acho, comida pelo mungo. Então o envolucro do capeta que era seu corpo não precisava ter sua morte notificada porque pro resto do mundo o cabelinha já tava morto.

    Responder

    1. Quando a pessoa morre no hospital, o corpo tem um traslado direto para o necrotério e de lá, depois de liberado o corpo, segue para a funerária para preparação e dali para o enterro. Ele saiu do hospital porque pelo ponto de vista da Medicina, não estava morto. Porém, durante o tempo que ficou na caixa, ele estava em um coma profundo, que foi se agravando. A faxineira concluiu que ele estava morto e disse isso para o Anderson.

      Responder
  4. BEZALEL

    Morto sim mas ainda não tinha sido divulgado, nem comunidado aos interessados!

    Responder
  5. BEZALEL

    “MANDRUGO”, “ciclo do inferno”, “purba”….,rsrsrs!

    “Mais e mais crânios estavam sendo espalhados pela cidade”…. então era voce mesmo que estava pagando a “valhota para espalhar os crâneos né? kkkkk

    Olha só como são as coisas!… Eu aqui dando palpites e o PHILLIPE já estava com o conto todo montado na cabeça. GRANDE GAROTO. E é claro , não vai mudar o foco da história. Só alguns detalhes que podem ser adicionado ou alterados!
    Dá-lhe “GURI”!
    37…38…39…

    Responder
  6. Carlos Dente

    Adoro essas adagas!

    (Chandler Jarrell tem uma, se não me engano…)

    Responder
  7. Layla

    Corre cara, vai lá salvar a Mara.
    E mata a bruxa.

    Esse capítulo ficou muito bom, arrepiou!

    Responder
  8. Forrest

    Sério, precisa prestar mais atenção…
    Na parte 21:
    “-Vá até uma duna em uma terça-feira. Chame por Leonard, sete vezes e ele virá. – Disse o inseto no parapeito, com sua voz macabra.”
    Depois na parte 26:
    “E o besouro tinha dito que tinha que ser em noite de lua.”
    Onde fala de “lua (ou lua cheia???)”.
    Depois, na parte 25:
    “Por pura sorte, vi, atrás da bolinha sorridente recortada no jornal, o calendário lunar. Era lua cheia. E a data era terça-feira.”
    Se era terça-feira e o cara viajou no mesmo dia pra Cabo Frio, então ele estava na “duna” na madrugada de “quarta-feira”… (a menos que ele estivesse com um recorte do jornal de amanhã nas mãos!)

    Responder

    1. Eu to criando e postando, não fiz revisão, mas é bom vc botar esses vacilos, pq eu vou la e corrijo. Como eu vou criando, quando cito algo la na frente posso me enganar pensando que escrevi algum detalhe que só pensei e acabei não escrevendo. Valeu.

      Responder
      1. Forrest

        Sem crise! Eu tô enchendo o saco aqui, mas é porque eu tô curtindo!
        Eu me apego aos detalhes porque também escrevo e não consigo concluir rápido as histórias por ficar refazendo justamente os detalhes!
        Abs

        Responder
  9. BEZALEL

    Já vi que esse “FOREST” é um dos leitores mais atentos e interesados nessa história.
    Tá bem “ligado”, nos detalhes. Mais que uns e outros, inclusive eu. Bom, também não estou aqui para encontrar erros ou criticar. Só pra curtir, mesmo!
    Tá desculpado, o Forest!
    Abraço!

    Responder
  10. Vilmar

    Mas será mesmo que é a velha? Desconfio que seja o burguesinho do namorado dela querendo se vingar do Anderson…

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.