17 Comentários

  1. Carlos Dente

    Meu Deus! O “Homem da Camisa Laranja” é um dos Bee Gees! Nããããoooo…

    Responder
  2. Ana

    Estou com MUITA dó da Daisy… Por mais que eu já esperasse que o Mark não voltasse mais, eu mantinha esperanças que o coraçãozinho da senhorinha não se despedaçaria :c

    Responder
  3. André

    Parabens pelo conto. Entro diariamente para ver se tem uma nova parte. Alguma chance do Nariz do Renato começar a sangrar e ele voltar para a Caixa??

    Abs

    Responder
      1. André

        Cara, nunca tinha lido A Caixa até o Renato ir parar lá. Pelos comentários comecei a ler e foi viciante. Foi um conto fantástico. Virei fã do blog.

        Responder
  4. Dhiego

    A verdade que aprendemos com os contos em que o Leonard aparece é que magia é treta e a melhor coisa que você pode fazer é se manter o mais longe possível!

    Responder
  5. Ivan

    Certeza que o Leonard já tinha uma noção que isso poderia acontecer! Deixou o Renato de isca!

    Responder

  6. Essa situação me lembrou o final do jogo Fate of Atlantis (aqui vai spoiler de um jogo com mais de 20 anos de idade!) onde os nazistas colocam o Indiana Jones para testar a máquina Atlante de criação de deuses…
    Uma das maneiras que o Indy pode se safar da encrenca é dizer algo do tipo:
    “Ok! Me coloquem na máquina… mas rezem para que não dê certo! Senão vocês vão conhecer a ira de um Deus bem zangado…”
    Algo assim… Aí o cientista nazista troca de lugar com Indy e testa a máquina no lugar dele (que dá merda, obviamente)
    Quero ver qual vai ser a solução do Renato! 🙂

    Responder
  7. Rubia Costa

    Nossa muito bom… o conto está perfeito, agora como o Leonard vai saber o que aconteceu. Coitado do Mark.

    Responder

  8. Caro sr

    você aceita parceria de links?

    Assim em vez de banner também é bom para o tráfego web entre os nossos blogs, e links não ocupam tanto espaço na sidebar dos nossos blogs, tanto do meu como seu.

    http://ficas-a-saber.com

    atenciosamente
    Silvio

    Responder

    1. Silvio, nós não fazemos tricas de links. Aqui está o motivo, tirado do último item do nosso FAQ:
      Algumas pessoas escrevem querendo saber se fazemos ou não parcerias de links. NO PASSADO fizemos isso, mas não fazemos mais essa prática.
      Vou explicar em detalhes por que não fazemos mais isso e uma vez que é uma bela furada, você também deveria parar de fazer imediatamente.

      Colocar redes de links “parceiros”, constitui o que é chamado de Link Farming, ou “cultivo de links”. Basicamente, esse sistema funciona enganando os sistemas de busca para achar que se muitos sites linkam o seu, o seu site é importante. Se você linka os mesmos sites que te linkam, o sistema acha que ambos são importantes. Durante muito tempo, isso funcionou lindamente e muito site cresceu nessa base de toma-lá-dá-cá que é o link farming. Tudo estava bem até que alguém sacou que isso era Black Hat.

      E veja que azar: Quem sacou isso trabalhava no Google!

      Obviamente que o black hat do link farming era de baixo nível e isso gerava uma “inflação” da moral (ranking) dos sites sem que isso realmente estivesse amparado num quesito de qualidade do conteúdo. Se o Google deixasse rolar, ele estaria abonando a prática da adulteração e aceitando que sites de má qualidade rankeassem bem, o que comprometeria a qualidade da internet como um todo. Logo, como sabemos (se você não sabe deveria saber) o black hat SEMPRE resulta em punição para os sites envolvidos. (Quando apanhados, lógico!)

      O Google interpreta o Link Farm como sendo a criação natural ou artificial de um grande grupo de páginas, todas com links para o mesmo site e, provavelmente, com o mesmo texto âncora, com o intuito, obviamente, de manipular o posicionamento de um site para o termo usado no texto âncora nos resultados de busca.

      Assim, o selinho, que era super maneiro em 2006 hoje é uma foda quase garantida no seu site!

      Quem utiliza Link Farm visa, também, um aumento de PageRank devido ao grande número de links externos que são criados com esta técnica. Como tanto o PageRank, quanto o posicionamento de um site nas buscas, está ligado à quantidade de links externos que ele recebe, quem utiliza esta técnica pode conseguir, por algum tempo, manipular tanto o PageRank, quanto o posicionamento no buscador.

      Naturalmente, nem é só o google que não aprova situações assim, todos os mecanismos hoje já tem algoritmos de detecção de link farming, e o efeito acaba sendo justamente o contrário: o site é punido e perde PageRank e posicionamento nos resultados de busca.

      Mas então quer dizer que não dá pra linkar mais ninguém?

      Não, não é assim que funciona. O Google, você sabe, é uma empresa cheia de nerd cabeçudo pra caralho que sabem fazer uns algorítimos fodas ara aqueles robôs de varredura de paginas, e assim, o Spider do google SABE reconhecer quando você tá fazendo a famosa “parceria” de troca de links e quando está linkando um assunto interessante no seu site. Uma das características de um link “saudável” é poder dar ao usuário uma opção de visitar outra página sobre o mesmo assunto. Essa troca de links entre várias páginas de mesmo conteúdo não é “ilegal”. Esse grupo de páginas que se relacionam é denominado “vizinhança”.

      Por exemplo, um site de gastronomia, pela lógica pode e deve ter links para sites relacionados, os famosos parceiros de verdade, com os quais trocam relações.

      Claro que hoje em dia, na terra dos malandros que se tornou a internet, um script pode gerar automaticamente uma vizinhança fajuta e atribuir a um site o maior número links, assim um motor de busca irá apontá-lo como o principal site dessa vizinhança falsa. Porém, os motores de busca evoluíram daquele tempo para cá, e essa “má vizinhança” pode ser detectada. E as que ainda não podem, poderão no futuro. Imagina que desgraça acordar e ver que seu site que você dedicou anos de sua vida sumiu dos buscadores todos como punição? Vale à pena arriscar?

      No fim, acaba que Link Farms não trazem benefício algum e devem ser evitados. Um site importante dentro de uma vizinhança é construído com tempo de trabalho e com bom conteúdo.

      Link Farms manipulam a interpretação de relevância de search engines, prejudicam os usuários e são feitos se obter bons posicionamentos, podendo não agregar nada ao usuário.

      Outro problema do link farming é o seguinte: Ele torna seu site feio pra caralho. Vira uma verdadeira PENTEADEIRA DE PUTA com milhares de quadradinhos coloridos cheios de animações piscantes e merdinhas se mexendo na sidebar, que atrapalha a leitura do texto pelo usuário.

      Se isso não fosse suficiente, os links parceiros de banner ainda geram problemas adicionais. Muitas vezes, uma imagem de “parceiro” está hospedada em servidores de imagem de baixa qualidade, que resultam em lentidão para enviar os dados, comprometendo o desempenho da pagina. Numa pagina com muitos acessos, isso se revela quase que um suicídio profissional, já que cada segundo a mais que o site deixa de carregar representam menos acessos ao conteúdo.

      Além de tudo isso, há estatísticas de usabilidade que mostram que links eternos na sidebar são incorporados mentalmente pelos usuários, tornando-se INVISÍVEIS. O que resulta numa porra que além de atrapalhar o carregamento do site, ainda não resultam como poderíamos esperar que resultassem.

      Não obstante, há outro problema e este é MUITO – PRA CARALHO MESMO – pior. Quando você faz a pratica do link farming, começa a trocar links com todo mundo. Logo você está com sua linda penteadeira de puta na sidebar. Eis que há um dado interessante que nos mostra que de 100% dos blogs e sites criados um expressivo percentual não passa dos primeiros anos. A taxa de fracasso dos blogs bate na casa dos 80%

      Isso significa que em pouco tempo, sua penteadeira de puta estará repleta de links para paginas 404 (não encontrado). O que fode sua usabilidade que é um indicativo importante no SEO do seu site. (SEO é algo que se você não sabe ainda o que é, está no ramo errado!)

      Se isso não fosse ruim o suficiente, eis que surge mais uma merdinha extra: O site daquele seu “pareciro de troca de links” não existe e não linka pra você, mas sua penteadeira de puta linka ainda para o URL dele, que logo poderá ser toada por um sujeito que pode fazer outro site qualquer, que seja de neonazismo, pedofilia, trafico de armas, drogas, fotos de assassinatos, ou seja la que merda for que o Google odeia. Aí um belo dia, o robô do google volta no seu site e começa a indexar um a um os links da sua penteadeira de puta e vai descobrir : Veja que lindo! Que você ENDOSSA UM SITE DESSES. O google é bem esperto, mas é burro o suficiente para não saber que o link que antes era para aquele site de piadinhas super legal, hoje aponta para crianças de três anos sendo estupradas. E ele vai achar que SEU CONTEÚDO é conexo! Assim, quem linka para putaria, se fode. Você não linkava, mas como não visita cada um dos “parceiros” de links todo dia, nunca vai saber dessa merda. Só quando tomar o ferro no seu pagerank.

      Links de parceiros são legais. Mas minhas dicas pra você são: Tire AGORA essa merda da sua sidebar. Limpe o seu layout e dê foco no que é importante: O CONTEÚDO. Se você faz posts de QUALIDADE, outros sites terão prazer em fazer posts que apontam o SEU SITE, e assim, você terá os links entrando que são importantes.

      Faça seu blogroll normalmente, mas faça links para sites que você gosta de verdade, que confia. Sites que você visita regularmente e que você saberá se saírem do ar ou se virarem sites de venda de armas ou drogas.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.