56 Comentários

  1. Cássio Godinho

    Como sempre exelente Sr.Philipe.
    E aquela lenda de um livro do MundoGump?
    hehe

    Responder

    1. O livro tá pronto. Tá escrito já. Só preciso pegar e acabar as correções e mandar publicar. Como a galera parou de pedir achei que tinha passado o interesse.

      Responder
      1. Luiz Felipe

        Se a publicação depende do número de pedidos encarecidos, então aqui vai mais um. E já peço pela pré-venda!

        😀

        Mais uma excelente história, tem gente que nasce pra escrever mesmo…

        Responder

      2. cara se voce escrever um livro
        eu vou querer um exemplar autografado
        compro na hora
        mas vai ter que ter muito mais historias que no site (que eu inclusive ja li todas)
        mas ia ser bem vendido
        pelo tanto de fans que adoram as suas historias eu não duvido

        Responder
  2. Arthur

    Li os dois textos, e tenho que admitir. A idéia é genial!
    Eu não consegui imaginar em qual parte do segundo texto ele ia se emendar com o primeiro.
    Realmente muito bom.
    Ficam aqui os meus parabéns.
    Grande Abraço!

    Responder
  3. Gupsiu

    eu gostei da 1ª parte, mesmo sabendo que estava incompleta. Eu desconfiava de uma armação, mas eu nunca pensei que a continuação terie esse desfecho, muito bom, merece aplausos, pois normalmente ninguem descreve o outro lado, pois quando só se ve um lado da história é facil ver quem é o vilão e quem é o mocinho, mas quando se mostra os dois lados, depende do ponto de vista e dos ideais de cada leitor, aposto que vai ter gente achando o laerte culpado, pois ele traia a esposa, mas vai ter gente achando a “Jéssica” a culpada, por extorquir dinheiro de um homem enganado-o.

    Responder

    1. Sim. Acho que o cerne do texto está em mostrar que há sempre um microcosmo num macrocosmo. Os dois são predadores. Há uma mensagem velada no segundo texto, que muita gente nem nota (o que eu vou fazer agora é chato como ter que explicar a piada) que é o fato da Kátia se considerar uma predadora. Do mesmo modo que no fim da parte 1, Laerte se considerava. Mas a verdade dos fatos é que Kátia continua sendo presa. Ela vem sendo presa desde o início. Kátia nunca se libertou de suas prisões elas apenas mudaram de forma. Ela é usada e descartada e este é seu destino. è usada pelo pai, é usada pelo divino, é é usada pelo Tião. No fim, ela pensa controlar seu destino, mas Tião mantém o controle sobre a vida dela. Então sob certos aspectos ela é um passarinho que apenas mudou para uma gaiola maior. Este é o núcleo do texto, a idéia central. Nunca somos livres, nunca somos os predadores. Podemos agir como, pensar que somos, bancar o rei da cocada preta dentro do nosso microcosmo, mas num nível macro, somos apenas gado, servido a propósitos obscuros e nunca nos damos conta disso.
      O chato é pensar que pouca gente vai fazer essa reflexão. Mas se divertir já tá bom.

      Responder
      1. aline

        Profundo demais heim! Queria um exemplar do livro, vc vende pelo site? Queria saber o preço e se poderia ser autografado. Acompanho seu blog desde o endereço antigo (acho que 2006), adoro seu trabalho. Parabenss

        Responder
  4. Crispim

    Olha…dava um belo roteiro para um curta..ficou muito bom, vende isso para algum aluno de cinema, vai que vira um longa…parabéns. 😀

    Responder
  5. David

    :argh: Man what’a hell? Imprecionante, muito bom, você tem o dom.
    Ao ler a primeira parte achei a história meio roteiro de novela, mais com essa segunda parte me convenci de que estava vendo roteior de filme gringo ao nivel de crash. Fabuloso cara, se escrever histórias assim para você é fácial você devia mudar para um emprego mais rentável 😎 . Só elogios, ótimo final, bem na cara do safado e convencido!!!!

    Responder
  6. Jonathan

    hehehehe, muito bom! Mas tenho a impressão que esta história poderia ter rendido mais, a idéia é muito boa para só 2 partes.

    Responder

    1. Eu concordo, mas tenho medo deste tipo de texto que cresce demais e acaba dominando tudo. Ocorre que eu preciso colocar coisas aqui direto, a necessidade de uma alta rotatividade impõe que eu limite um pouco o tamanho dos contos. Em geral, quanto ais longos os textos, menos visitantes os lêem.

      Responder
  7. Kaoru Higurashi

    Huahuahua, caramba, adorei o final da história.

    No final, o Laerte que se achava o vencedor fora enganado o tempo todo e nem desconfiou. Muito bom mesmo, mais uma vez, parabéns pela história.

    Responder
  8. Caio Cologni

    Nooooooossa…que reviravolta hein Philipe.

    Isso daria um filme 😀

    Responder
  9. marcelo

    aqui rolou algo semelhante com meu melhor amigo, mas ela nao contava que eu era medico, e casado com a dona do laboratorio daonde ela fez o exame que nunca existiu…

    mas isso sempre tem de monte por ai… se nao igual, parecido.. mto parecido.

    Responder
  10. Pirani

    Nossaaaaa chegando perto do final um sorriso foi aparecendo no canto da boca!
    Fechou com chave de ouro !

    MUITO bom !

    Responder
  11. Carlos

    Muito bom. A narrativa é dinâmica, elaborada. Te coloca no ambiente da história, você quase consegue sentir o ambiente criado à sua volta. Apesar de curto e meio previsível, o conto é muito bem elaborado. A narrativa se parece muito com a de livros consagrados e best selers. Palmas para vc Philipe. E sim, histórias como essa, com um pouco mais de apuro e voltadas para séries ou curtas podem dar bons frutos. A muito estamos precisando no brasil de ares novos e enredos novos. Chega de obras repaginadas do inicio do século passado.
    Parabéns novamente.

    PS: Continue assim como vc sempre foi, não caia na cilada do orgulho pelos louros recebidos.

    Responder
  12. Pertence

    Ótimo texto, considerando as duas partes ! Parabéns, e quando lançar o livro vou adquirir o meu.

    Responder
  13. Fabinho

    Cara Está de Parabéns meeeeesmo! como outros já disseram digno de um best seller, leio o mundogump há 1 ano aproximadamente, entro pelo menos umas 2 vezes por dia para conferir o blog mas praticamente nunca comento os posts, sempre fico me regulando não sei porque, talvez receio de não ter algo a acrescentar, porém desta vez não consegui segurar, tenho que deixar meu comentario e parabenizá-lo pela genialidade, a ambientação é incrivel, muito bom mesmo.

    Responder
  14. Gabriela

    Philipe, realmente você escreve muito bem, tem um dom com as palavras e eu adoro seus textos.
    No entanto, você comete um erro de ortografia gravíssimo que já reparei em vários de seus posts (não sendo um mero erro por desatenção ou digitação).
    As palavras ‘prévia’, ‘diária’, ‘simultânea’, dentre outras que não me recordo no momento, perdem o acento quando têm o sulfixo ‘mente’ adicionado (‘previamente’, ‘diariamente’, ‘simultaneamente’).
    Isso ocorre pois a sílaba tônica passa a ser o ‘men’ (que também não leva acento), além de só serem acentuadas as sílabas oxítonas, paroxítonas ou proparoxítonas. Nunca a quarta ou quinta sílaba, como você faz com essas palavras.
    Fica aqui a dica para que seus textos sejam ainda melhores.

    Responder
  15. André Mendes

    Realmente você está de parabéns!
    A estória é bem detalhada e o enredo muito bem feito.
    Fico imaginando que alguém mal intencionado pode pegar a sua idéia e tentar colocar o golpe em prática.
    Acho que muitos “caçadores” iriam cair nessa de verdade.
    Quando puder manda mais contos.
    Abraços

    Responder
  16. Tantalo

    Gostei muito da historia, axei legal a caracterização dos personagens, a 1ª fico com uma qstão no ar, e vc soube encaxar as duas de uma forma muito dinâmica, um roteriro sem furos e nunca fugindo aos padrões da 1ª historia.
    Gostei msmo, parabens!

    Responder
  17. Vinicius

    Então cara , direto e reto eu fiko pensando nisso…sera que agente que controla mesmo a nossa vida ? Sera que nos somos apenas marionetes na mão daqueles que estão no poder ? Daqueles que controlam as redes de tv , de radio , que controlam os governos ?
    Porque eu percebo constantemente infinitas coisas que eu acho que faço por que eu quero..mais na verdade eu só quero aquilo porque alguma coisa me fez querer aquilo , e muitas vezes eu sei o que me fez querer aquilo mais mesmo assim eu não busco deixar de querer entendem ? Eu sei que ta meio enrolado , mais essa é uma reflexão que toma muito tempo do meu dia ultimamente…por exemplo , eu ja fazia essa reflexão antes deste post , mais se eu não fizesse , eu ia ler este post e ia começar a fazer , então , eu estaria sendo influenciado por este blog….enfim , eu acho que ninguem faz nada sem ser influenciado ou manipulado por algo ou por outras pessoas…apesar de que há uma diferença entre ser manipulado e ser influenciado , uma diferença bem estreita , mais há..É mais ou menos isso que eu penso , e eu não acho que deu pra eu me expressar muito bem , e eu num vo consegui coloca tudo aqui porque eu duvido que alguem ta lendo ate esse ponto , imagina se eu fosse por todas minhas reflexões aqui.auhauha , mais pra finaliza Philipe , esse texto foi muito bom mesmo , e o final foi perfeito , hahaha !

    Grande Abraço !

    Responder
  18. koveiro

    show de bola a história realmente daria um bom filme
    eu achei que vc tava estacionado sobre a parada do livro, lança sim que a galera vai curtir.
    parabéns philip

    Responder
  19. Pedro

    Fim?! Como assim Fim?!
    Continua escrevendo, tá muito massa!!
    O que vai acotnecer com A Kátia? E com o Laerte? E com o Tião e as moças??
    Ahhhh eu preciso sabeeer!!

    Responder
  20. goreth kling

    Olá meu filho,

    Vejo satisfeita que vc continua um cara genial com as palavras. Nao é corujice de mae ja que tantos escreveram gostando de suas estórias, que eu já lia desde seus tempos de 1 grau…
    Que bom que a sua professora te desafiou a escrever um conto por dia…

    Responder
  21. Henrique

    Quando falou do muro rosado já dei um sorriso de canto de boca e pensei:
    -Esse Phillipe é foda!!

    Responder
  22. Edu Pires

    Li a primeira parte tentando descobrir o final. Errei feio… rs. E outra vez fiquei surpreso com o poder que você tem em prender nossa atenção. Digno de aplausos. Parabéns, velho.

    Responder
  23. DanXP (Daniel Bart Pinheiro)

    Excelente, já tinha lido uma vez mas não comentei, agora que eu reli, esse texto está ótimo, e essa esquema que os trambiqueiros do conto usaram, digno de um gênio. Parabéns, e como eu não canso de dizer, você é 10000000!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.