A macabra torre do silêncio

“…Nenhum dos corpos em decomposição na fotografia foi identificado. Os moradores das proximidades ficaram chocados com o numero de corpos no Dakhma, e se mostraram incapazes de reconhecer quem eram aqueles mortos. Os corpos, por sua vez, não batiam com a descrição de nenhuma pessoa desaparecida. Não havia animais, exceto moscas e suas larvas. Os zoroastristas permitem que aves necrófagas alimentem-se dos mortos pois vêem nisso uma pratica onde de acordo com suas crenças “o corpo volta para a Terra”. Mas os oficiais encontraram os corpos relativamente preservados e intocados por qualquer animal. Não há contagem oficial de mortos. De fato, muito pouca investigação foi feita no local, e talvez seja esta a razão dessa foto ter aparecido. Os oficiais evitaram o lugar não só porque ele parecia difícil, mas pelo seguinte…”

O bizarro caso de Will West

A menos que você seja um estudante da História da Papiloscopia, você não deve saber quem diabos é Will West. Aliás, talvez você nem imagine que diabos seja Papiloscopia, hahaha.
Bom, basicamente, olhe para a foto acima. Esses dois caras são muito, muito parecidos, né? Um deles é Will West. Você sabe dizer qual deles?

Trevo

Fazia um frio cortante. O vento que soprava, inclemente, incessante, estava a ponto de lhe congelar as orelhas.
Sentado com as pernas cuzadas em posição de lótus, Dick olhava para um buraco na terra. Era somente um buraco, cheio de terra preta e nada mais. Uma ou outra pedrinha mais clara despontava entre os pequenos torrões da terra escurecida e estéril. Não havia formiga ou inseto.
Era o alto de uma montanha. E nuvens distantes prenunciavam uma tempestade para dali a algumas horas. Não muito distante, as gigantescas torres de dolomita cortavam os céus, a mais de três mil metros de altitude…